Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Bandeira da Turquia do lado de fora de embaixada em Viena, na Áustria 31/03/2017 REUTERS/Leonhard Foeger

(reuters_tickers)

ISTAMBUL (Reuters) - A polícia da Turquia matou cinco militantes do Estado Islâmico em uma operação realizada em uma casa de Konya, cidade do centro do país, nesta quarta-feira, e quatro policiais ficaram feridos sem gravidade, disse o escritório do governador provincial.

Forças especiais da polícia iniciaram a batida na residência do bairro de Meram às 5h15 (horário local) por acreditarem que a célula militante planejava um ataque, relatou a agência de notícias Dogan.

Segundo a agência, havia suspeitas de que os homens podiam estar tramando atacar eventos que estão sendo realizados nesta semana para comemorar o primeiro aniversário de uma tentativa de golpe militar no país em 15 de julho.

A operação foi conduzida como parte de medidas de segurança para proteger edifícios ao logo de rotas usadas por veículos militares, e a batida na casa foi realizada em busca de um militante do Estado Islâmico procurado, informou o comunicado do escritório do governador de Konya.

Uma troca de tiros teve início depois que os ocupantes da casa resistiram à polícia, e cinco rifles Kalashnikov, uma pistola e munições foram apreendidos durante a batida, acrescentou o comunicado. O trabalho para identificar os mortos está em andamento.

A polícia isolou a área e veículos que se aproximavam foram revistados depois do confronto, que ocorreu durante operações policiais em 10 endereços diferentes de Konya, segundo a Dogan.

Militantes do Estado Islâmico já realizaram ataques com armas e bombas na Turquia. Muitos combatentes estrangeiros também atravessaram o solo turco nos últimos anos para se unirem a seu autoproclamado califado na Síria e no Iraque.

(Por Daren Butler)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters