Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

ISTAMBUL (Reuters) - A polícia turca agiu no centro de Istambul neste domingo para fazer valer a proibição à parada anual do orgulho gay e transgênero, bloqueando uma rua principal e dispersando grupos de manifestantes que se reuniram nas proximidades. 

Equipados com escudos e capacetes, policiais fecharam as entradas para a rua Istiklal, onde organizadores planejaram realizar a marcha antes de as autoridades anunciarem sua proibição, no sábado, citando problemas de segurança após ameaças de um grupo ultranacionalista.

Pequenos grupos reuniram-se nas ruas próximas com bandeiras de arco-íris, símbolo do orgulho lésbico, gay, bissexual e transgênero. A polícia atirou com balas de borracha para dispersar um grupo, disseram testemunhas, e prendeu várias pessoas. 

Imagens publicadas na internet indicam que os policiais também atiraram gás lacrimogêneo em um local.

A parada de Istambul atraiu dezenas de milhares de pessoas no passado, tornando-se uma das maiores do universo muçulmano. Em 2015 ela foi dispersada pela polícia. No ano passado e neste, foi proibida após ameaças do grupo ultranacionalista Alperen Hearths.

O gabinete do governador de Istambul afirmou que decidiu proibir a demonstração por estar preocupado com a segurança dos manifestantes, turistas e moradores.

"O verdadeiro motivo por trás das reações a uma marcha que aconteceu durante 12 anos em paz é o ódio", disseram os organizadores.

Istambul tradicionalmente é vista como um lugar relativamente seguro para membros da comunidade gay de outros lugares do Oriente Médio, inclusive para refugiados da Síria e do Iraque.

Mas apesar de a homossexualidade não ser um crime na Turquia, como em muitos países muçulmanos, a homofobia ainda é muito ampla. Críticos afirmam que o presidente Tayyip Erdogan e seu islâmico partido AK mostraram pouco interesse em expandir os direitos das minorias, gays e mulheres, e são intolerantes com dissidências. 

(Por Yesim Dikmen e Mehmet Caliskan)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters