Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Teis Jensen e Jacob Gronholt-Pedersen

COPENHAGUE (Reuters) - A polícia dinamarquesa disse neste domingo que não encontrou ninguém no naufrágio de um submarino de propriedade de um inventor acusado de homicídio culposo de uma mulher que estava a bordo, mas acrescentou que a embarcação parecia ter sido deliberadamente afundada.

A polícia disse que a jornalista sueca Kim Wall, 30 anos, está desaparecida após dar uma volta no submarino de 17 metros caseiro de Peter Madsen, que afundou na manhã da sexta-feira. Madsen foi resgatado pela marinha.

O inventor, de 46 anos, recebeu uma detenção de 24 dias, acusado do homicídio culposo de Kim.

A embarcação foi recuperada no sábado na Bahia de Koge, sul de Copenhague, de uma profundidade de sete metros. A polícia fez buscas nele no final do sábado e no início do domingo.

"Não havia pessoas no submarino, vivas ou mortas", disse a jornalistas Jens Moller, chefe da unidade de homicídios da polícia de Copenhague.

(Reportagem adicional de Stine Jacobsen e Anna Ringstrom)

Reuters