Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

SANTIAGO (Reuters) - A polícia chilena fez buscas nesta quarta-feira nos escritórios da Odebrecht em Santiago, em meio ao escândalo que a construtora enfrenta em vários países da América Latina por pagamentos de subornos milionários.

A medida é parte da investigação realizada pela promotora Ximena Chong sobre a também brasileira OAS por um suposto financiamento ilícito a políticos chilenos, incluindo a campanha presidencial de Marco Enríquez-Ominami, em 2013.

Representantes da Odebrecht na capital do Chile entregaram documentos contábeis à polícia, assim como fizeram no começo de fevereiro trabalhadores da OAS em Santiago.

O procurador nacional, Jorge Abott, disse que Chong viajará este mês a Brasília para presenciar interrogatórios a executivos da Odebrecht.

"Esperamos que na segunda semana de março a promotora possa ir ao Brasil para presenciar declaração que promotores brasileiros possam tomar de certas pessoas...em relação a eventos que possam ter ocorrido no Chile", disse Abbott a repórteres.

OAS e Odebrecht estão entre as dezenas de empresas de engenharia e construção que ilegalmente obtiveram contratos estatais na Lava Jato.

(Reportagem de Erik Lopez)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters