Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

FERGUSON, Estados Unidos (Reuters) - O chefe da polícia de Ferguson, no Estado norte-americano do Missouri, disse nesta sexta-feira que o policial que matou a tiros um adolescente negro, provocando dias sucessivos de protestos que tem se tornado violentos, chama-se Darren Wilson.

O nome foi revelado pelo chefe de polícia Thomas Jackson em uma coletiva de imprensa organizada próxima a uma loja de conveniência da marca QuikTrip que ficou destruída em meio aos protestos provocados pela morte de Michael Brown, de 18 anos, no último sábado.

Jackson também disse que a polícia iria divulgar as gravações dos comunicados policiais, assim como um vídeo de uma outra loja de conveniência onde um assalto ocorreu no sábado anterior à norte de Brown.

Ele não esclareceu qual a ligação, ou se havia alguma, entre o caso de Brown e o assalto. Jackson disse que responderia aos questionamentos dos jornalistas em uma outra coletiva ainda nesta sexta-feira.

"Não posso discutir a investigação sobre uma tentativa de detenção de um suspeito em um roubo a mão armada", disse ele.

A polícia de Ferguson vinha mantendo o nome do policial que atirou em Brown sob sigilo, alegando preocupações de segurança. O policial é membro da polícia há seis anos com um bom histórico, disseram autoridades. Ele foi colocado em licença administrativa remunerada após o incidente.

(Reportagem de Nick Carey em Ferguson e Susan Heavey em Washington)

Reuters