Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Fumaça sai de chaminé em usina siderúrgica na China 18/03/2015 REUTERS/Stringer

(reuters_tickers)

LONDRES (Thomson Reuters Foundation) - A poluição atmosférica de indústrias que produzem bens para exportação é ligada a mais de 700 mil mortes prematuras mundialmente em um único ano, afetando pessoas vivendo a milhares de quilômetros da fonte da poluição e as que vivem próximas, disseram pesquisadores nesta quarta-feira.

Emissões de indústrias na China produtoras de bens para exportação são ligadas a mortes por doenças cardíacas, acidente vascular cerebral e câncer de pulmão nos Estados Unidos, por exemplo, disseram os pesquisadores em relatório publicado no jornal Nature.

“Mortalidade prematura relacionada à poluição do ar é mais do que uma questão local e nossas descobertas quantificam a extensão do quanto a poluição atmosférica é um problema global”, disse Dabo Guan, coautor do estudo e professor de economia de mudanças climáticas na Universidade de East Anglia, no Reino Unido.

“O comércio internacional está globalizando ainda mais a questão da mortalidade por poluição do ar ao permitir que atividades de produção e consumo sejam fisicamente separadas”, disse Guan em comunicado.

O relato é o primeiro a relacionar mortes prematuras mundialmente com comércio internacional, segundo os pesquisadores, e se utiliza de dados de 2007.

(Por J.D. Capelouto)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters