Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LISBOA (Reuters) - Mais de 3 mil bombeiros lutam, neste domingo, para apagar os incêndios florestais em Portugal, após o país pedir ajuda da Europa para lutar combater o fogo que ameaça se espalhar, diante da previsão de mais dias quentes pela frente.

O clima excepcionalmente seco e quente desencadeou, no início do verão europeu, o pior incêndio de Portugal que se tem notícia, matando 64 pessoas.

A ministra do Interior, Constança Urbana de Sousa, disse que o país enviou um pedido de ajuda à Europa no final do sábado devido às altas temperaturas e aos ventos fortes que se aproximam e que podem ocasionar novos incêndios.

Segundo a ministra, o pedido foi realizado "por questão de prudência" devido à previsão do tempo para os próximos dias, segundo a agência de notícias Lusa. A ajuda inclui aviões de combate a incêndios e bombeiros, e faz parte de um mecanismo europeu de cooperação para o combate de incêndios.

De acordo com os serviços de emergência, foram registradas 268 ocorrências de incêndios no sábado, o maior número para um único dia neste ano, mobilizando 6.500 bombeiros. Há receio de que muitos deles possam voltar neste domingo, com ventos mais fortes e temperaturas mais quentes.

(Reportagem de Axel Bugge)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters