Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Angus Berwick

MADRI (Reuters) - Autoridades marroquinas prenderam um homem suspeito de fornecer botijões de gás para uma célula jihadista que realizou um ataque duplo na Catalunha que matou 16 pessoas neste mês, disse uma fonte da investigação espanhola.

A célula acumulou cerca de 120 botijões de gás butano em uma casa em uma cidade a sul de Barcelona e planejava, segundo a polícia, realizar um ataque a bomba.

A polícia acredita que a célula inflamou os explosivos acidentalmente em 16 de agosto, véspera do ataque de Barcelona, provocando uma explosão que destruiu a casa na cidade da Alcanar.

Os agressores remanescentes então decidiram usar vans alugadas para atropelar pessoas ao longo da avenida mais famosa de Barcelona e posteriormente realizar um ataque na cidade de Cambrils.

A polícia marroquina prendeu o homem na cidade de Casablanca, disse a fonte, sem dar mais detalhes.

O ministro do Interior da Espanha, Juan Ignacio Zoido, disse nesta terça-feira que autoridades marroquinas haviam prendido duas pessoas ligadas aos ataques, mas se negou a dar detalhes sobre elas.

Seis dos agressores foram mortos a tiros pela polícia e dois morreram na explosão na casa em Alcanar. Quatro outras pessoas foram presas pelos ataques. Duas destas já foram libertadas sob certas condições.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters