Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BRUXELAS (Reuters) - O presidente destituído da Catalunha, Carles Puigdemont, não foi à Bélgica a convite do governo do país, disse o primeiro-ministro belga, Charles Michel, nesta terça-feira, acrescentando que Puigdemont será tratado como qualquer outro cidadão da União Europeia.

Puigdemont realizou uma coletiva de imprensa em Bruxelas, onde disse aceitar a eleição antecipada convocada pelo governo central de Madri, mas pediu garantias judiciais antes de retornar à Espanha.

"O governo belga não tomou sequer um passo para encorajar o sr. Puigdemont a vir para a Bélgica", disse o gabinete do primeiro-ministro, em comunicado.

"O governo belga tem repetidamente pedido um diálogo político para resolver a crise na Espanha no âmbito da ordem nacional e internacional", acrescentou.

(Reportagem de Robert-Jan Bartunek)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters