Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LONDRES (Reuters) - O Reino Unido não vai buscar uma acordo para o Brexit em que fique "meio dentro, meio fora" da União Europeia, vai dizer a primeira-ministra britânica, Theresa May, na terça-feira, quando vai estabelecer em discursos as 12 prioridades nas negociações para a saída do bloco.

As 12 prioridades vão incluir deixar o mercado único da União Europeia, publicou o jornal Telegraph nesta segunda-feira. May pode ser menos explícita quanto a união aduaneira do bloco, mas deixará claro que o Reino Unido não será mais membro, acrescentou o jornal.

"Buscamos uma nova e igualitária parceria --entre um Reino Unido independente, autônomo e global e nossos amigos e aliados na UE", dirá May no discurso de terça-feira, de acordo com trechos divulgados por seu gabinete.

"Não uma participação parcial na União Europeia, participação associada na União Europeia, ou qualquer coisa que nos deixe meio dentro, meio fora. Não buscamos adotar um modelo de que já desfrutam outros países. Não buscamos ficar com pedaços de participação quando sairmos."

Os trechos preliminares do discurso fornecido pelo gabinete de May não indicaram explícitamente o relacionamento comercial futuro que ela quer ter com a UE ou quais seriam as suas 12 prioridades.

Ela também vai dizer que é do interesse nacional da Grã-Bretanha que a UE tenha sucesso.

"Nós continuaremos a ser parceiros confiáveis, aliados dispostos e amigos próximos. Queremos comprar seus bens, vendê-los, negociar com você o mais livremente possível e trabalhar uns com os outros para garantir que todos sejam seguros, mais seguros e mais prósperos por meio da contínua amizade", vai dizer.

(Reportagem de Kylie MacLellan)

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759)) REUTERS ES RBS

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters