Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Primeira-ministra britânica, Theresa May, durante cúpula do G7 na Itália. 26/05/2017 REUTERS/Stephane De Sakutin

(reuters_tickers)

LONDRES (Reuters) - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, enfrentará um grande teste nesta quinta-feira que irá mostrar se terá apoio parlamentar suficiente para governar, quando seu plano legislativo irá a votação no Parlamento em meio a tentativas da oposição de desgastar os aliados do governo.

A aposta fracassada de May na eleição antecipada de 8 de junho custou ao Partido Conservador sua maioria parlamentar, o que levou a premiê a fechar um acordo com um pequeno partido da Irlanda do Norte para garantir os votos suficientes para aprovar leis no Parlamento.

May tem uma vantagem de 13 votos sobre a oposição entre as 650 cadeiras do Parlamento graças ao apoio do Partido Democrático Unionista (DUP), e venceu uma votação na quarta-feira com o placar de 323 votos contra 309.

Mas o oposicionista Partido Trabalhista, liderado por Jeremy Corbyn, propôs emendas que podem por à prova a lealdade dos apoiadores da premiê.

O debate sobre a agenda legislativa de May, conhecida como o Discurso da Rainha, irá durar o dia todo. A discussão irá se concentrar na economia e nos empregos.

Opositores apresentaram emendas pedindo medidas de proteção ambiental antes da desfiliação britânica da União Europeia, o chamado Brexit, e a desistência do chamado "Brexit duro" para manter a filiação ao mercado comum.

Entre as outras exigências estão o fim dos cortes de gastos públicos e a disponibilização de abortos gratuitos no sistema de saúde pública para mulheres da Irlanda do Norte em viagem à Inglaterra.

(Por Guy Faulconbridge)

Reuters