Navigation

Premiê britânico sofre pressão por inquérito sobre abuso infantil

Este conteúdo foi publicado em 06. julho 2014 - 18:18

LONDRES (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, está enfrentando pressão para lançar um inquérito de larga escala sobre as alegações de que políticos conhecidos abusaram crianças na década de 1980, após uma autoridade afirmar que o governo perdeu arquivos que podem trazer luz sobre o assunto.

As alegações, que supostamente envolvem figuras famosas e poderosas daquela era incluindo políticos, chegaram às manchetes após um parlamentar da oposição mencioná-las no parlamento.

Elas surgiram num momento em que autoridades britânicas investigam e tentam perseguir celebridades e outras figuras conhecidas na vida pública sobre outras alegações de comportamento sexual.

O Partido Trabalhista, da oposição, pediu uma "análise ampla" sobre as alegações de abuso infantil, acusando o governo de Cameron, encabeçado pelo Partido Conservador, de não fazer o suficiente e não respeitar a gravidade da questão.

"Dada a preocupação com isso, Theresa May (a Secretária do Interior) não deveria simplesmente deixar para autoridades e para o primeiro-ministro resolver", afirmou a porta-voz do Partido Trabalhista para assuntos domésticos, Yvette Cooper, em comunicado.

"Ela precisa garantir que há um processo em que as pessoas têm confiança -- para conseguir verdade e justiça, mas também para proteger as pessoas no futuro", acrescentou.

(Reportagem de Andrew Osborn)

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.