Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

PEQUIM (Reuters) - O primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, alertou neste sábado que o país tem um trabalho "extremamente árduo" para impedir que a gripe H1N1 se espalhe, pedindo que mais pessoas sejam vacinadas e que a produção de vacinas seja elevada.
"No momento, a situação de prevenção da gripe é extremamente árdua e pode haver epidemias, ou ela se espalhar em certas regiões". afirmou Wen a autoridades durante uma visita a um hospital infantil em Pequim, em comentários transmitidos pela televisão estatal.
As pessoas precisam ser "incentivadas a serem vacinadas o mais rápido possível" e "pesquisa sobre a produção de vacinas deve ser apressada", acrescentou.
Imagens na televisão mostraram Wen, com uma mascara cirúrgica em seu rosto, conversando com crianças, pais e funcionários no hospital.
O ministro da Saúde, Chen Zhu, alertou em setembro que a China enfrentava uma situação séria para conter a doença na volta às aulas e com o número de casos subindo.
A China tem até agora 44.981 casos de infecções pelo vírus H1N1, incluindo seis mortes, a última ocorrida neste sábado na província de Heilonjiang, no nordeste do país.
A agência de notícias estatal Xinhua acrescentou que uma onda de frio no norte da China pode elevar o risco de infecção com a gripe.
Mas Wen também deu sinais de otimismo. "Temos confiança completa, e a habilidade para realizar bem o trabalho de prevenção e impedir epidemias. Precisamos trabalhar o mais duro possível para reduzir o número de casos graves e mortes", afirmou.
Há checagens estritas nas fronteiras e em muitos lugares com concentração de pessoas, como salões de karaoke, e o governo iniciou um programa de vacinação em massa no final de setembro, começando com cerca de 100.000 estudantes de Pequim.
Zhu disse que o governo quer produzir 26 milhões de doses da vacina até o final de outubro, e 65 milhões até o fim de 2009.
O laboratório chinês Sinovac informou no mês passado que sua vacina protege os pacientes com uma única dose.
(Reportagem de Ben Blanchard)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters