Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

BELGRADO (Reuters) - Os sérvios escolherão um novo presidente neste domingo, com o conservador primeiro-ministro Aleksandar Vucic favorito na disputa apesar dos alertas da oposição sobre a extensão de seu domínio sobe o país dos Balcãs.  

A maioria das pesquisas aponta que Vucic, de 47 anos, vencerá a primeira rodada com mais de 50 por cento dos votos, seguido por um ex-ativista de direitos humanos e um estudante cujo retrato satírico de um farsante político desprezível tocou alguns eleitores desiludidos.

O papel do presidente é amplamente cerimonial, mas Vucic deve manter o poder real através de seu controle do Partido Progressista da Sérvia.

Assim, a eleição não deve alterar o delicado equilíbrio do país entre a União Europeia, à qual Vucic quer que a Sérvia se reúna, e a Rússia, com quem a Sérvia compartilha a religião Ortodoxa Cristã e a herança eslava.

Durante a campanha, o cenário de um popular programa de entrevistas ao qual Vucic foi convidado mostrava uma foto dele ao lado de fotografias da chanceler alemã, Angela Merkel, e do presidente russo, Vladimir Putin.

Para seus apoiadores, Vucic é calmo e firme em uma região tumultuada.

"Eu votei pela estabilidade, já tivemos guerras o suficiente", disse Bozica Ivanovic, de 65 anos, que votou em Vucic. "Nós precisamos de mais empregos para os jovens e se conseguirmos aposentadorias e salários mais altos, melhor ainda".

Os opositores de Vucic, no entanto, dizem que ele tem uma veia autoritária que o levou a assumir o controle da mídia na Sérvia desde que seu partido chegou ao poder em 2012 e ele se tornou primeiro-ministro três anos atrás.

Ele nega a acusação, mas tem dificuldade de afastá-la dado seu histórico no governo nos últimos dias da antiga Iugoslávia.

(Por Aleksandar Vasovic e Ivana Sekularac)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters