Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Jerusalém 23/05/2017 REUTERS/Ronen Zvulun

(reuters_tickers)

Por Ori Lewis

JERUSALÉM (Reuters) - O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse no domingo que se encontrará com o presidente norte-americano, Donald Trump, na próxima semana durante uma visita a Nova York, onde discursará na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) no dia 19 de setembro.

Netanyahu conversou com repórteres que o acompanham em uma turnê pela América Latina antes de seu avião partir de Tel Aviv rumo à Argentina na noite de domingo. Ele também visitará a Colômbia e o México antes de seguir para Nova York.

Em Washington, a Casa Branca não respondeu de imediato a um pedido de comentário sobre a reunião dos dois líderes.

"Do México irei a Nova York para falar na Assembleia Geral das Nações Unidas, e lá encontrarei meu amigo, o presidente Donald Trump", disse Netanyahu.

Ele acrescentou os melhores votos "para que todos os nossos amigos nos EUA superem estas horas difíceis (do furacão Irma)".

O presidente palestino, Mahmoud Abbas, também deve discursar durante a Assembleia Geral da ONU, mas não se falou de um possível encontro entre ele e o primeiro-ministro de Israel.

Netanyahu disse ser o primeiro premiê israelense no exercício do cargo a visitar a América Latina e classificou sua visita como "histórica". O giro chega no momento em que ele é investigado em dois casos de corrupção.

Um destes, conhecido como Caso 1000, envolve presentes que o premiê e sua família podem ter recebido de empresários, enquanto o Caso 2000 trata de supostos esforços seus para obter uma cobertura melhor do publisher de um jornal israelense.

Netanyahu, que governa há 11 anos e está em seu quarto mandato, nega qualquer irregularidade.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters