Reuters internacional

Premiê britânica, Theresa May, durante reunião de gabinete em Londres. 12/06/2017 REUTERS/Leon Neal

(reuters_tickers)

Por Kylie MacLellan e William James

LONDRES (Reuters) - A primeira-ministra britânica, Theresa May, tentará convencer os parlamentares de seu próprio Partido Conservador, nesta segunda-feira, de que deve permanecer como premiê apesar do fracasso de sua aposta eleitoral, que custou ao partido a maioria parlamentar e enfraqueceu a posição do Reino Unido para o início formal das negociações da separação da União Europeia.

Com a política britânica atravessando a mais profunda instabilidade desde a surpreendente decisão favorável ao Brexit em um referendo em junho do ano passado, líderes da UE se questionam como as conversas sobre o divórcio poderão começar na próxima semana.

Apesar das expectativas dos conservadores de uma vitória arrasadora, May perdeu sua maioria parlamentar, o que lhe forçou a buscar o apoio de um pequeno partido eurocético da Irlanda do Norte que conquistou 10 assentos no Parlamento.

May enfrentará a indignação de parlamentares conservadores em uma reunião da legenda mais tarde nesta segunda-feira. Apesar de alguns membros do partido defenderem que ela deixe o governo, May deve permanecer como primeira-ministra ao menos pelas próximas semanas.

"Não detecto nenhum grande apetite entre os meus colegas de apresentarem ao público uma dose adicional de instabilidade ao nos envolvermos em uma cmapanha de eleição interna do próprio Partido Conservador", disse o presidente do partido, Graham Brady, à emissora de TV BBC.

May prometeu iniciar as negociações formais do Brexit na próxima semana, mas sua autoridade ruiu desde o resultado da eleição, e os adversários aproveitaram a votação para criticar a estratégia do governo para o Brexit.

Reuters

 Reuters internacional