Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente chinês, Xi Jinping, e esposa, Peng Liyuan, no aeroporto de Hong Kong. 29/06/2017 REUTERS/Bobby Yip

(reuters_tickers)

Por Venus Wu e James Pomfret

HONG KONG (Reuters) - O presidente chinês, Xi Jinping, disse nesta quinta-feira que a China vai trabalhar para garantir um "futuro de longo alcance" para a autonomia de Hong Kong, mas enfrenta uma cidade dividida, com manifestantes insatisfeitos com o que veem como uma interferência de Pequim, no marco de 20 anos do domínio chinês.

O Reino Unido devolveu Hong Kong ao controle chinês no dia 1º de julho de 1997, sob uma fórmula de "um país, dois sistemas" que garante à cidade amplas liberdades e independência jurídica não vistas no território continental da China.

Pequim prometeu que o sistema capitalista de Hong Kong continuará inalterado por "ao menos" 50 anos, até 2047, mas não esclareceu o que acontecerá depois do prazo.

"Nós estamos dispostos a, junto com diferentes setores da sociedade de Hong Kong, olhar para trás no curso incomum de Hong Kong nos últimos 20 anos, tirar conclusões da experiência, olhar para o futuro e garantir que 'um país, dois sistemas' esteja estável e tenha um futuro de longo alcance", disse Xi ao desembarcar no aeroporto de Hong Kong para o aniversário da transferência do poder.

(Reportagem adicional de William Ho, Jasper Ng e Doris Huang)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters