Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Juan Manuel Santos faz discurso em Guayaquil 15/2/2017 REUTERS/Henry Romero

(reuters_tickers)

BOGOTÁ, (Reuters) - O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse nesta terça-feira estar preocupado com a militarização da Venezuela, em meio a uma crise política, econômica e social, e pediu prudência.

A Colômbia tornou-se parte de um bloco de países da América Latina que pediu que o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, convoque eleições para resolver a crise do país.

"Vemos com séria preocupação a militarização da sociedade venezuelana. Um chamado para a sanidade", escreveu Santos em sua conta do Twitter.

Maduro se apresentou na segunda-feira a milhares de milicianos chavistas, que prometeram se unir para defender seu projeto revolucionário, antes de um protesto convocado pela oposição.

A recente onda de protestos na Venezuela contra o governo de Maduro deixou pelo menos cinco mortos.

A oposição acusa Maduro de ser "um ditador" que controla os tribunais e que usurpou o poder do Legislativo para impor uma agenda socialista que está levando à ruína o país com as maiores reservas mundiais de petróleo.

Maduro, cuja popularidade tem caído desde que assumiu o poder em 2014, adverte que seus adversários são "traidores" que buscam uma intervenção militar estrangeira e culpa a profunda recessão por uma "guerra econômica" promovida pelos Estados Unidos contra sua autoproclamada revolução bolivariana.

(Reportagem de Luis Jaime Acosta)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters