Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

DUBAI (Reuters) - O presidente do Irã, Hassan Rouhani, acusou neste domingo seus críticos da linha-dura de buscarem privar iranianos de alegrias básicas da vida e isolar o país, à medida que um assessor disse que ele havia decidido se candidatar para um segundo mandato, relatou a mídia estatal.

O Irã irá realizar uma eleição presidencial em 19 de maio, mas Rouhani, um moderado que é elegível para tentar um segundo mandato de quatro anos, não chegou a dizer que irá concorrer para tentar avançar com reformas resistidas por poderosos linhas-duras.

"Logo é o Ano Novo (iraniano), então deixem as pessoas terem alguma alegria", disse Rouhani, que defende maiores liberdades sociais, em discurso transmitido ao vivo na TV estatal.

"Por quê chorar muito é halal (permitido sob o Islã) e quando rimos é haram (banido)”, disse Rouhani, em aparente referência aos linhas-duras que controlam a polícia e os órgãos da segurança e promovem uma interpretação rigorosa do Islã.

Os comentários de Rouhani em um encontro sobre saúde pública foram feitos no mesmo dia que um principal assessor disse que ele decidiu concorrer à reeleição.

"Nas semanas recentes, o Sr. Rouhani chegou à conclusão de participar da eleição presidencial", disse o vice-presidente para questões parlamentares, Hosseinali Amiri, segundo a agência de notícias estatal Irna.

Em seu discurso, Rouhani disse que o governo apoia abrir o Irã para o mundo, enquanto seus oponentes buscam confrontos e isolamento.

(Por Redação de Dubai)

Reuters