Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

DUBAI (Reuters) - O presidente do Irã, Hassan Rouhani, disse nesta terça-feira que o presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, não pode cancelar unilateralmente o acordo nuclear que Teerã assinou com potências mundiais, incluindo Washington, e que conversas sobre renegociação são "sem sentido".

Trump, que assume a presidência dos EUA na sexta-feira, disse que o acordo de julho de 2015 é "o pior acordo já negociado". Ele ameaçou descartar o acordo ou buscar um acordo melhor.

    Sob o acordo do Irã com EUA, França, Alemanha, Reino Unido, Rússia e China, Teerã concordou em diminuir seu programa nuclear para indicar às potências de que não pode ser usado para desenvolver bombas nucleares. Em troca, o Irã recebeu alívio de sanções, que em maioria foram removidas em janeiro de 2016.

    "O presidente eleito mostrou não estar feliz sobre o acordo nuclear, chamando-o de pior acordo já assinado. Isto é somente conversa vazia", disse Rouhani durante entrevista coletiva na data em que completa um ano da remoção das sanções.

    "Não penso que ele poderá fazer muito quando for à Casa Branca", acrescentou Rouhani, um moderado que através de abertura diplomática arquitetou um degelo nas relações da república islâmica com o Ocidente.

    Rouhani disse ter esperança sobre o futuro do acordo nuclear, que foi apoiado por uma resolução do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, chamando conversas sobre renegociação de "sem sentido".

    "Estou otimista com o futuro do acordo nuclear... É bom para os Estados Unidos, mas ele (Trump) não entende", disse Rouhani, cujas afirmações foram transmitidas ao vivo na TV estatal.

Rex Tillerson, escolha de Trump para a Secretaria de Estado, disse na semana passada que recomendaria uma "revisão total" do acordo nuclear, mas não falou sobre rejeição completa.

(Reportagem de Bozorgmehr Sharafedin)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters