Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LIMA (Reuters) - O presidente peruano, Ollanta Humala, nomeou nesta terça-feira a ministra do Trabalho sua nova chefe de gabinete, após a renúncia do seu antecessor, envolvido em um vergonhoso escândalo político a poucos dias do início do seu quarto ano de mandato.

Uma porta-voz do Palácio de Governo disse que Ana Jara se tornará a sexta chefe de gabinete de Humala, que neste mês completará três anos no poder com uma popularidade de 25 por cento.

É a primeira vez que uma colaboradora próxima de Humala e da sua influente mulher, Nadine Heredia, que lidera o partido governista, assume o cargo de primeira-ministra.

Jara substituirá René Cornejo, que ocupava o cargo há cinco meses.

Um programa de televisão afirmou no domingo que um assessor de Cornejo estava organizando uma campanha contra o parlamentar Víctor García Belaunde, quem lidera uma denúncia por supostas irregularidades em uma licitação do Estado em favor de uma empresa do primeiro-ministro.

O assessor foi imediatamente afastado a pedido de Humala. Cornejo negou a sua participação no suposto complô, mas a oposição pediu a renúncia do premiê.

(Reportagem de Marco Aquino e Teresa Céspedes)

Reuters