Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CHINHOY, Zimbábue (Reuters) - O presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, disse neste sábado que não vai deixar o cargo e que não está morrendo, afirmando também que não há ninguém com sua estatura política para retirá-lo do poder.

O líder de 93 anos tem estado à frente do governo da ex-colônia britânica desde sua independência em 1980. Sua saúde é acompanhada de perto pelo povo do país, que teme enfrentar um caos se ele morrer sem apontar um sucessor.

Mugabe disse a dezenas de milhares de seguidores em um comício na cidade de Chinhoyi, sua província natal, que os médicos recentemente se surpreenderam com seu a força de seus ossos.

Ele viajou para Cingapura três vezes neste ano para o que autoridades dizem que eram tratamentos médicos de rotina.

"Eu não estou morrendo. Eu vou ter uma doença aqui e ali, mas meu corpo, todos os meus órgãos internos ... está muito firme, muito forte", disse ele no palco do comício.

Mugabe, que parece frágil, entrou no palco lentamente, mas sem ajuda.

As dúvidas sobre quem vai suceder Mugabe têm dividido fortemente o partido no comando do país, com duas facções apoiando o vice-presidente Emmerson Mnangagwa e a esposa de Mugabe, Grace.

Na quinta-feira, Grace pediu que Mugabe defina o preferido para sucedê-lo, para acabar com divisões sobre a futura liderança do partido ZANU-PF.

Ela repetiu esse pedido neste sábado, adicionando que Mugabe vai liderar o processo para escolher seu eventual sucessor.

Mugabe disse que embora alguns oficiais do partido queiram sucedê-lo, ele não vê ninguém entre seus subordinados com influência política a ponto de manter o partido unido e enfrentar a concorrência dos principais opositores, do Movimento para Mudança Democrática.

"Um novo homem não terá a mesma estatura e a mesma aceitação que consegui assegurar para o partido ao longo dos anos", afirmou o presidente.

(Por MacDonald Dzirutwe)

Reuters