CARACAS (Reuters) - O presidente-eleito da Guatemala, Alejandro Giammattei disse que foi impedido de entrar na Venezuela, neste sábado, onde havia marcado de se reunir com o líder de oposição Juan Guaidó.

Giammattei, conservador que ganhou a eleição presidencial do país da América Central em agosto, aterrissou no Aeroporto Internacional Simon Bolívar, próximo à capital Caracas, mas "oficiais do regime estão impedindo sua entrada", disse o gabinete de Guaidó.

Guaidó, que lidera a Assembleia Nacional venezuelana, controlada pela oposição, foi reconhecido como o líder legítimo do país por dúzias de outras nações em janeiro, após evocar a constituição para assumir como presidente interino, argumentando que a reeleição do presidente Nicolás Maduro, em 2018, não foi legítima, e se autoproclamou presidente interino da Venezuela.

"Esta é uma mensagem ao presidente Guaidó: estamos com você. Apesar de não terem nos deixado entrar, vamos fazer com que nossa voz seja ouvida em todo o continente”, disse Giammattei, em um vídeo filmado no avião e publicado por Guaidó no Twitter.

Giammattei posteriormente tuitou que havia aterrissado no Panamá sem incidentes.

O Ministério da Informação da Venezuela não respondeu imediatamente a um pedido por comentários. Maduro, um socialista, chama Guaidó de marionete apoiada pelos Estados Unidos que busca derrubá-lo com um golpe de estado.

Maduro supervisionou um colapso econômico na outrora próspera nação da OPEC e é acusado de corrupção e violações de direitos humanos.

Em um tuíte antes de Giammattei ter sua entrada negada, o gabinete de Guaidó chamou a reunião que estava planejada de “histórica e sem precedentes”.

(Reportagem de Luc Cohen e Deisy Buitragoç reportagem adiciona de Daina Beth Solomon)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.