Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

LIMA (Reuters) - O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, pediu nesta segunda-feira aos países da América Latina que atuem para evitar um "mar de sangue" na Venezuela, que vive uma crise, em meio aos protestos contra o governo, que já deixaram dezenas de mortos.

Kuczynski, que está em visita à Espanha, afirmou em Madri que não existe democracia na Venezuela e instou o presidente Nicolás Maduro a permitir a entrada de ajuda humanitária para os afetados pela violência no país petroleiro.

"Se não se fizer nada, vamos terminar com um mar de sangue, vamos ter invasão em Cúcuta, na fronteira da Colômbia, vamos ter gente que chega a Curaçao (do Caribe) de bote e o bote afunda, como tem acontecido no Mediterrâneo", disse Kuczynski sobre a Venezuela em um fórum do grupo espanhol Prisa, segundo um comunicado do Palácio de Governo de Lima.

"Temos que evitar isso, se a América Latina tem alguma solidariedade entre os países, temos que tratar de buscar uma solução", afirmou o mandatário no fórum "O Peru do Futuro".

Kuczynski é um forte crítico da maneira como o governo da Venezuela vem tratando a crise, e no final de março anunciou a saída definitiva de seu embaixador em Caracas na esteira de uma decisão do Tribunal Supremo venezuelano, depois revogada parcialmente, de assumiu funções legislativas. 

(Redação Lima)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters