Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente da África do Sul, Jacob Zuma, durante evento em Johanesburgo 16/12/2017 REUTERS/Siphiwe Sibeko

(reuters_tickers)

JOHANESBURGO (Reuters) - O presidente da África do Sul, Jacob Zuma, disse nesta quarta-feira que a determinação do Congresso Nacional Africano (CNA) para que ele renuncie como chefe de Estado é "injusta", uma vez que o partido não disse o que ele fez de errado.

"Eu não acho que seja justo, eu acho que é injusto", disse Zuma em entrevista à emissora estatal, sobre o pedido por sua renúncia.

Ele praticamente disse que não irá deixar o cargo, e acrescentou: "Não há nada que eu tenha feito de errado".

Zuma disse ainda que irá emitir uma declaração mais tarde nesta quarta-feira.

(Reportagem de James Macharia)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.









swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters