Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Britain's Prime Minister Theresa May, leaves 10 Downing Street in central London, Britain June 13, 2017. REUTERS/Stefan Wermuth - RTS16VJ8

(reuters_tickers)

Por Costas Pitas e Kylie MacLellan

LONDRES (Reuters) - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, chegou perto de fechar um acordo com um partido protestante da Irlanda do Norte nesta terça-feira para salvar seu posto, já que está sendo intensamente pressionada para aliviar sua abordagem para a desfiliação britânica da União Europeia, o chamado Brexit, dias antes do início das conversas formais de separação.

A aposta eleitoral fracassada de May, que lhe custou sua maioria parlamentar, a enfraqueceu tanto que os apoiadores de laços mais estreitos com a UE exigiram publicamente que ela adote uma postura mais consensual e pró-empresariado no Brexit.

Na tentativa de evitar uma segunda eleição que poderia aprofundar o pior tumulto político do país desde o referendo chocante de junho passado que decidiu pelo rompimento com a UE, May conversou com o Partido Democrático Unionista da Irlanda do Norte (DUP, na sigla em inglês) nesta terça-feira.

Ela se reuniu com a líder do DUP, Arlene Foster, cuja sigla eurocética tem 10 cadeiras no Parlamento, durante mais de uma hora em Downing Street, embora mais tarde as duas tenham deixado o local por saídas diferentes.

"As discussões com o governo estão indo bem", disse Foster no Twitter. "Esperamos poder levar este trabalho a uma conclusão bem-sucedida em breve."

Um porta-voz de Downing Street não quis comentar.

Mas um acordo com o DUP cria o risco de desestabilizar o equilíbrio político na Irlanda do Norte por aumentar a influência dos unionistas pró-britânicos, que vêm lutando há anos com nacionalistas irlandeses católicos que querem que a Irlanda do Norte se junte a uma Irlanda unida.

O ex-premiê britânico John Major disse temer que um pacto com o DUP ressuscite a violência na província quase duas décadas depois de um acordo de paz mediado pelos Estados Unidos pacificar a Irlanda do Norte.

"A última coisa que qualquer um deseja é uma ou outra das comunidades tão ofendida que os homens duros que ainda estão ali à espreita nos extremos das comunidades decidam que desejam retornar a alguma forma de violência", disse Major à rádio BBC.

Embora o DUP seja profundamente eurocético, o partido recuou diante de algumas implicações práticas de um 'Brexit duro' – incluindo a perda em potencial de uma "fronteira sem fricções" com a República da Irlanda–, e as conversas irão abordar os esforços para minimizar o possível dano à Irlanda do Norte.

Durante a campanha da eleição antecipada, May se apresentou como a única líder competente o suficiente para conduzir as negociações tortuosas do Brexit, que irão moldar o futuro do Reino Unido e de sua economia de 2,5 trilhões de dólares.

  (Reportagem adicional de Kate Holton em Londres e Padraic Halpin em Dublin)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters