CARACAS (Reuters) - O primeiro carregamento de auxílio humanitário da Cruz Vermelha que tem como objetivo atenuar a dura crise econômica que afeta a Venezuela chegou ao país nesta terça-feira, afirmaram um representante da organização e um parlamentar venezuelano.

A entrega aconteceu após recuo do presidente Nicolás Maduro, que na semana passada disse que seu governo socialista havia chegado a um acordo com a Cruz Vermelha para levar auxílio ao país. Maduro havia bloqueado esforços anteriores de entregar os carregamentos e tem negado que haja crise humanitária no país.

"A Cruz Vermelha Internacional entregou hoje sua primeira leva de apoio à Venezuela, junto com o governo revolucionário que eu lidero, e ele foi recebido de uma maneira legal e ordenada, cumprindo protocolos internacionais", disse Maduro em discurso transmitido na TV estatal.

Há pouca esperança de que o carregamento --que visa ajudar hospitais a lidar com a escassez de equipamentos e frequentes cortes de energia-- seja mais do que um paliativo para o país, de onde mais de três milhões de pessoas já fugiram do caos da hiperinflação e da falta crônica de comida e medicamentos.

A Venezuela entrou em um impasse político em janeiro, quando Juan Guaidó, líder da Assembleia Nacional controlada pela oposição, invocou a Constituição do país para reivindicar a Presidência interina, afirmando que a reeleição de Maduro em 2018 foi ilegítima.

(Por Vivian Sequera, Shaylim Castro e Mayela Armas)

Palavras-chave

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.