Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Marco Aquino

LIMA (Reuters) - Promotores peruanos estão esperando que um juiz local assine um segundo mandado de prisão para o ex-presidente Alejandro Toledo, o que acreditam que irá convencer os Estados Unidos a prender e extraditar o político, disse um promotor do caso na terça-feira.

Um juiz peruano ordenou em fevereiro que Toledo fosse preso por 18 meses, enquanto promotores preparam acusações de corrupção contra ele. Entretanto, os Estados Unidos se recusaram a detê-lo imediatamente quando autoridades do Peru disseram que o ex-presidente estava na Califórnia, fazendo com que a nação sul-americana reapresentasse seu pedido.

Em uma tentativa de sustentar seu caso contra Toledo, que negou qualquer irregularidade, a Procuradoria-Geral pediu a uma corte em abril que emitisse um segundo mandado de prisão para Toledo, relacionado a uma segunda investigação de lavagem de dinheiro, disse o promotor Rafael Vela.

Entretanto, o juiz Abel Concha ainda não assinou o novo mandado, disse Vela, que lidera a unidade de investigação de lavagem de dinheiro da Procuradoria-Geral.

"Nós não sabemos qual é a justificativa legal para não fazê-lo", disse Vela a uma coletiva de imprensa com outros promotores e com o procurador-geral. "Eu estou tornando isso público porque é algo que realmente nos surpreendeu".

Uma porta-voz do gabinete de Concha disse que o juiz está esperando por clareza sobre se as duas investigações criminais contra Toledo se tornarão uma única investigação mais ampla.

(Reportagem de Marco Aquino)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters