Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Reuters) - Manifestantes marcharam neste sábado no centro comercial de St. Louis, nos Estados Unidos, e a banda de rock U2 cancelou um show horas após a polícia entrou em confronto com uma multidão indignada pela absolvição de um ex-policial branco acusado de assassinar um homem negro.

No segundo dia de protestos após decisão judicial no caso da morte a tiros de Anthony Lamar Smith em 2011, centenas de pessoas cantavam "Shut it down" e erguiam os punhos no ar enquanto passavam pelo West County Center.

A polícia estava presente, mas não houve confronto, ao contrário da noite anterior, quando dez policiais ficaram feridos e pelo menos 23 pessoas foram levadas presas.

Após a violência, a banda U2 cancelou um show programado para a noite deste sábado em St. Louis, citando preocupações de segurança para os fãs.

Na sexta-feira, o juiz Timothy Wilson absolveu o ex-policial de St. Louis Jason Stockley, pelo assassinato de Anthony Lamar Smith, de 24 anos.

Smith foi baleado cinco vezes em seu carro depois de tentar fugir de Stockley e seu parceiro, que perseguiam o suspeito após um suposto envolvimento com drogas, disseram autoridades.

Durante a perseguição, ouviu-se no vídeo interno da viatura Stockley dizer que iria matar Smith, segundo os promotores. O ex-policial acreditava que o jovem estava armado, mas os promotores argumentam que só havia digitais na arma encontrada no carro de Smith.

(Por Valerie Volcovici e Kenny Bahr)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters