SANTIAGO (Reuters) - Os protestos que atingiram o Chile nos últimos mesesderrubaram a 6% a aprovação ao governo do presidentechileno, Sebastián Piñera, de acordo com pesquisa divulgada na quinta-feira.

A pesquisa do Centro de Estudos Públicos (CEP) mostrou que o apoio ao presidente conservador caiu 19 pontos ante levantamentos anteriores, enquanto a rejeição subiu 32 pontospercentuais e chegou a 82%.

"Esta é a pior avaliação que teve um presidente desde o retorno à democracia", disse Ricardo González, coordenador de Opinião Pública do CEP.

O resultado relativo ao presidente se soma ao acentuado declínio generalizado na confiança nas instituições, com quedas superiores a 10 pontos entre serviços de segurança e militares.

O Chile submergiu em intensos protestos desdemeados de outubro, motivados por uma alta no preço dos transportes, mas que se estenderam a outras demandas.

Entre os entrevistados, 81% consideram que o governo agiu mal ou muito mal durante a crise social.

A pesquisa revelou que os itens mais solicitados foram aposentadorias, saúde e educação. Mais da metadedos entrevistados mostrou apoio às manifestações, e 64%consideraram que a polícia violou os direitos humanos.

A pesquisa mostrou ainda que 47% consideram que a democracia no país funciona mal ou muito mal, enquanto 44% acreditam que funciona regular.

A pesquisa contou com 1.496 entrevistas em todo o país entre 28 de novembro e 6 de janeiro, com margem de erro de mais ou menos 3 pontos.

(Por Fabián Andrés Cambero)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


Teaser Instagram

Siga-nos no Instagram

Siga-nos no Instagram

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.