Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Manifestantes fecham rua durante protesto em Apurímac, Peru, em 2015. 29/09/2015 REUTERS/ El Comercio

(reuters_tickers)

LIMA (Reuters) - Protestos por melhores serviços públicos em uma remota região do Peru bloquearam rodovias usadas pela mineradora MMG <1208.HK> para transportar concentrados de cobre de sua mina Las Bambas, disse um representante da Defensoria de um povoado local na quarta-feira.

Centenas de moradores da cidade de Challhuahuacho marcharam na quarta-feira pelo terceiro dia consecutivo para pedir que o governo construa um hospital e sistema de esgoto, disse Artemio Solano, da Defensoria da região de Apurímac.

Líderes do protesto querem que o presidente Pedro Pablo Kuczysnki viaje à cidade, que fica em altitude de mais de 3.658 metros na região peruana dos Andes, para negociar uma solução, disse Solano.

O governo disse estar avaliando a situação.

"Um processo de negociação, de diálogo, está sendo desenvolvido com as comunidades", disse o ministro da Defesa, Jorge Nieto, a repórteres.

Os responsáveis pela mina Las Bambas não responderam a pedidos de comentários.

Protestos na região no ano passado suspenderam os envios de cobre da mina para o porto de Matarani e quase paralisaram as operações. Um manifestante foi morto em confrontos com a polícia, que tentava restaurar os transportes na rodovia usada pela mina.

O Peru é o segundo maior exportador de cobre do mundo e tem conflitos por mineração em regiões remotas, onde serviços básicos como água e ruas asfaltadas são escassos.

(Reportagem de Mitra Taj)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters