Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

NAÇÕES UNIDAS,  (Reuters) - Quase dois terços dos países-membros da Organização das Nações Unidas (ONU) concordaram nesta sexta-feira com um tratado para banir armas nucleares depois de meses de conversas, que foram boicotadas por Estados Unidos, Reino Unido, França e outros, que ao invés disso se comprometeram com um Tratado de Não-Proliferação vigente há décadas.

O tratado para a proibição de armas nucleares irá entrar em vigor 90 dias depois que 50 países o ratificarem. Ele foi adotado nesta sexta-feira com 122 votos a favor, um contra e uma abstenção.

No início das conversas, em maio, a embaixadora dos EUA na ONU, Nikki Haley, disse que dezenas de países estavam se esquivando das negociações por estarem comprometidos com o Tratado de Não-Proliferação, que entrou em vigor em 1970 e almeja evitar a disseminação de armas nucleares e da tecnologia de armas.

A resolução da Assembleia Geral da ONU adotou uma resolução em dezembro, com 113 votos a favor, 35 contra e 13 abstenções, para "negociar um instrumento legalmente vinculante para proibir armas nucleares, rumando para sua eliminação total" e incentivou todos os países-membros a participarem.

    (Por Michelle Nichols)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters