Navigation

Quatro finalistas disputam prêmio de Pessoa do Ano de 2020 da revista Time

Donald Trump e Joe Biden estão entre os finalistas do prêmio Pessoa do Ano, da Time 22/10/2020 REUTERS/Mike Segar reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. dezembro 2020 - 23:19

Por Barbara Goldberg

NEW YORK (Reuters) - A revista norte-americana Time revela seu escolhido ou escolhida para o prêmio de Pessoa do Ano de 2020 na noite desta quinta-feira, e vai escolher entre indicados que incluem profissionais da área de saúde que combatem a pandemia da Covid-19, o movimento pela justiça racial e os dois adversários das eleições presidenciais dos Estados Unidos.

A revista irá anunciar à meia-noite (horário de Brasília) sua escolha para o título dado à pessoa "que mais afetou as notícias ou as nossas vidas, para melhor ou para pior", disse a Time em seu site.

A ativista do clima Greta Thunberg se tornou no ano passado a pessoa mais jovem a conquistar a honraria. A sueca de 16 anos inspirou os jovens a agirem em 2019 contra as mudanças climáticas, capturando as manchetes quando faltava aulas para se manifestar em frente ao Parlamento sueco pressionando seus membros a promoverem iniciativas para conter emissões de carbono.

A Pessoa do Ano normalmente é um indivíduo, mas grupos de pessoas que afetaram amplamente o país e o mundo também já foram indicados. A revista começou com o prêmio em 1927.

Os quatro finalistas do ano incluem Joe Biden, que será empossado como 46º presidente dos Estados Unidos no dia 20 de janeiro, após vencer uma eleição "histórica e sem precedentes", afirmou a revista. "Ele quebrou o recorde do ex-presidente Barack Obama de mais votos recebidos de um candidato presidencial". 

O atual presidente Donald Trump também está no páreo. "Desde que perdeu a eleição, ele está afirmando sem evidências que houve fraude e se declarou falsamente como vencedor", disse a Time. "Seu governo tem sido altamente criticado pela resposta à pandemia de Covid-19". 

Profissionais de saúde que combate a pandemia e o especialista em doenças infecciosas dos EUA Anthony Fauci são o terceiro finalista sendo considerado para o prêmio.

O quarto concorrente é o movimento global por justiça racial, despertado pelo assassinato de George Floyd, um homem negro que morreu após um policial branco ajoelhar sobre seu pescoço por quase nove minutos em maio na cidade de Mineápolis.

Partilhar este artigo