Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Cachorros são retirados vivos dos escombros do hotel. 23/01/2017. Vigili del Fuoco/Handout via REUTERS

(reuters_tickers)

FARINDOLA, Itália (Reuters) - Um helicóptero-ambulância caiu nas montanhas italianas nesta terça-feira, matando todas as seis pessoas a bordo, colocando ainda mais pressão nos agentes dos serviços de emergência, que encontraram vítimas mas não outros sobreviventes da avalanche que atingiu um hotel próximo.

A descoberta do corpo de uma mulher à tarde, quando os agentes realizavam buscas em meio a destroços e neve, levou o número de mortos do Hotel Rigopiano, destruído na quarta-feira, para 16, ao mesmo tempo que os primeiros funerais de vítimas foram realizados.

Em incidente não relacionado às buscas no hotel, a queda do helicóptero do outro lado da cadeia de Gran Sasso, a cerca de 100 quilômetros na região de Abruzzo, colocou ainda mais pressão nos serviços de emergência.

Agentes de socorro tiveram que escalar parte de uma montanha para chegar aos destroços do helicóptero, que ia para um hospital com um esquiador ferido.

A causa do acidente, que ocorreu em ponto de neblina, não estava imediatamente clara.

O novo desastre atingiu a região conforme os primeiros funerais das vítimas do hotel eram realizados.

Familiares e amigos do funcionário Alessandro Giancaterino entraram em uma igreja na vizinha Farindola atrás do caixão do homem de 42 anos, coberto por uma bandeira da Inter de Milão.

"Ele era uma pessoa perfeita, gentil, adorava seu trabalho no hotel", disse um amigo fora da igreja.

Três cachorros foram encontrados vivos nos escombros do hotel na segunda-feira. A última vez que pessoas foram retiradas com vida foi na manhã de sábado.

(Por Sasa Kavic e Roberto Mignucci)

Reuters