Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

MOSCOU (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, acusou os Estados Unidos e seus aliados, nesta quarta-feira, de orquestrarem "provocações letais" contra soldados russos na Síria.

Moscou se queixou do que diz serem laços supostamente amigáveis entre milícias apoiadas pelos EUA, forças especiais norte-americanas e o Estado Islâmico na Síria, e acusou Washington de tentar frear o avanço do Exército sírio.

"Existem muitas perguntas às forças lideradas pelos EUA na Síria", disse Lavrov ao jornal pan-árabe Asharq al-Awsat em uma entrevista publicada nesta quarta-feira.

"Ou eles bombardeiam acidentalmente tropas sírias contra as quais militantes do Estado Islâmico lançam uma ofensiva, ou levam outros terroristas a atacarem alvos estrategicamente importantes... ou realizam provocações letais contra nossos efetivos militares".

Na semana passada o vice de Lavrov, Sergei Ryabkov, disse que a "política de duas caras" dos EUA é a culpada pela morte do general russo Valery Asapov na Síria, algo que Washington negou enfaticamente. Asapov foi morto por um bombardeio do Estado Islâmico.

Lavrov também disse nesta quarta-feira que os EUA e a coalizão que lidera são "visitantes indesejados" na Síria do ponto de vista da lei internacional e acusou Washington de "dividir terroristas em maus e não tão maus".

(Por Dmitry Solovyov)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters