Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov. 05/07/2017 REUTERS/Mike Segar

(reuters_tickers)

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - A Rússia se opôs nessa quinta-feira a uma condenação do Conselho de Segurança da ONU ao mais recente lançamento de míssil da Coreia do Norte porque o comunicado esboçado pelos Estados Unidos se referiu ao foguete como um míssil balístico intercontinental (ICBM), disseram diplomatas.

Comunicados do Conselho de Segurança precisam ter a concordância de todos os seus 15 membros. Não ficou claro de imediato se os Estados Unidos continuarão a negociar com a Rússia em um esforço de atingir um consenso sobre o comunicado de condenação.

Moscou disse acreditar que Pyongyang lançou um míssil balístico de alcance intermediário na terça-feira, enquanto a China não identificou o foguete lançado. A Coreia do Norte disse ter testado um ICBM e os Estados Unidos disseram que é provavelmente verdade.

"O raciocínio é que com base em nossa avaliação (do Ministério de Defesa), nós não podemos confirmar que o míssil possa ser classificado como um ICBM", disse a missão da Rússia na ONU, em um email para seus colegas do Conselho de Segurança.

"Portanto, nós não estamos em uma posição para concordar com essa classificação em nome de todo o conselho, já que não há consenso nessa questão", afirmou no email.

O Conselho se reuniu na quarta-feira para discutir o lançamento de míssil da Coreia do Norte, que tem estado sob sanções da ONU desde 2006 devido a seus programas nuclear e de mísseis balísticos.

(Reportagem de Michelle Nichols)

Reuters