Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Guardas fronteiriços da Ucrânia inspecionam uma unidade de fronteira isolada que foi atingida, segundo autoridades ucranianas, por disparos feitos do território russo, em Milove, na região de Luhansk, na Ucrânia, nesta sexta-feira. 08/08/2014 REUTERS/Valentyn Ogirenko

(reuters_tickers)

MOSCOU (Reuters) - O Ministério da Defesa russo afirmou nesta sexta-feira que encerrou os exercícios militares no sul da Rússia que os Estados Unidos consideraram ser um passo "provocativo" diante da crise na Ucrânia.

"Aeronaves que participaram de exercícios estão sendo transferidas para suas bases aéreas permanentes, unidades de mísseis antiaéreos... começaram a guardar seu equipamento para partir para as suas posições permanentes", disse o serviço de imprensa do ministério, segundo a agência de notícias Interfax.

O ministério acrescentou que os exercícios na região de Astrakhan, a 1.000 quilômetros da fronteira com a Ucrânia, mostraram "um alto nível de coesão" das tropas.

O primeiro-ministro da Polônia, Donald Tusk, disse nesta semana suspeitar que a ameaça de uma intervenção direta dos militares russos na Ucrânia aumentou recentemente.

De acordo com a Otan, a Rússia reuniu 20.000 soldados perto da fronteira com a Ucrânia.

As relações entre Moscou e o Ocidente estão no pior nível desde o fim da Guerra Fria.

O Ocidente acusa a Rússia de alimentar o conflito entre os separatistas e as forças do governo ucraniano no leste da Ucrânia, e impôs várias rodadas de sanções a Moscou.

A Rússia nega fornecer armas aos rebeldes e retaliou os países ocidentais que aplicaram sanções restringindo a importação de alimentos dessas nações.

(Reportagem de Alexander Winning)

Reuters