Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Homem respira com máscara de oxigênio após suposto ataque de gás na Síria. 04/04/2017 REUTERS/Ammar Abdullah

(reuters_tickers)

MOSCOU (Reuters) - O Ministério de Relações Exteriores da Rússia disse, nesta quinta-feira, ser muito cedo para acusar o governo sírio de ser responsável pelo ataque fatal de gás venenoso na província de Idlib, e disse que uma investigação é necessária, informou a agência de notícias RIA.

O ministério também rejeitou as afirmações dos Estados Unidos de que o ataque, que deixou pelo menos 70 mortos, significaria o fracasso de um acordo para acabar com o estoque de armas químicas do país, acrescentando que o processo teria sido, na verdade, "bem sucedido", segundo a agência.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou o presidente da Síria, Bashar al-Assad, de ter atravessado um limite com o ataque contra civis, e disse que sua atitude em relação à Síria mudou, mas não deu nenhuma indicação de como reagiria.

A Rússia sugeriu que vai apoiar Assad publicamente de qualquer maneira, e afirma que o incidente químico foi provavelmente causado por um vazamento de um depósito controlado por rebeldes sírios.

(Reportagem de Alexander Winning)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters