Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Ilustração da bandeira do Estado Islâmico 18/02/2016 REUTERS/Dado Ruvic

(reuters_tickers)

MOSCOU (Reuters) - Um ataque aéreo da Rússia matou cerca de 40 combatentes do Estado Islâmico, incluindo quatro comandantes de alto escalão, perto de Deir al-Zor, cidade do leste da Síria, informou o Ministério da Defesa russo nesta sexta-feira.

O ataque, realizado por bombardeiros Su-34 e caças Su-35, ocorreu depois que um relatório de inteligência de 5 de setembro mostrou que comandantes importantes do grupo radical estavam reunidos em um posto de comando subterrâneo secreto na vizinhança de Deir al-Zor, disse o ministério em sua página de Facebook.

Entre os mortos está Abu Muhammad al-Shimali, que supervisionava os combatentes estrangeiros do Estado Islâmico, segundo a pasta.

O ministério também disse ter indícios de que Gulmurod Khalimov, o "ministro da Guerra" dos jihadistas, estava presente ao encontro no abrigo e que foi ferido fatalmente durante o ataque e levado à área de Al-Muhasan, 20 quilômetros ao sudeste de Deir al-Zor.

Khalimov, comandante da força de elite da polícia do Tadjiquistão treinado pelos Estados Unidos, desertou para o Estado Islâmico em abril de 2015 e mais tarde publicou um discurso em vídeo prometendo voltar para casa e estabelecer a lei da sharia em sua nação da Ásia Central e levar a jihad à Rússia e aos EUA.

Uma autoridade de alto escalão do serviço de segurança nacional do Tadjiquistão disse à agência de notícias russa RIA que Moscou recebeu um pedido de detalhes que provem a eliminação de Khalimov.

(Por Vladimir Soldatkin)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters