Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Míssil balístico Hwasong-14 em foto divulgada pela Agência de Notícias Central da Coreia do Norte, em Pyongyang 04/07/2017 KCNA/via REUTERS

(reuters_tickers)

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - Os Estados Unidos e a Rússia estão conduzindo campanhas rivais no Conselho de Segurança da ONU sobre o tipo de míssil balístico lançado pela Coreia do Norte no início deste mês, depois de os EUA aplicarem sanções mais fortes contra Pyongyang devido ao teste.

A embaixadora norte-americana na ONU, Nikki Haley, organizou na segunda-feira uma reunião com seus colegas do conselho para argumentar que Pyongyang lançou um míssil balístico intercontinental, disseram diplomatas, em um encontro que contou com a presença da Rússia e da China, aliada da Coreia do Norte.

Diplomatas da ONU disseram que a Rússia sugeriu que especialistas militares russos e norte-americanos compartilhem informações sobre o teste de lançamento.

A reunião dos Estados Unidos veio depois que a Rússia enviou uma carta e um gráfico, vistos pela Reuters, para os 15 membros do Conselho de Segurança no dia 8 de julho garantindo que seus radares apontaram que o míssil lançado pela Coreia do Norte no dia 4 de julho era de alcance médio.

A alegação da Rússia de que a Coreia do Norte não lançou um míssil balístico internacional impossibilita os esforços de Washington para impor sanções mais fortes contra Pyongyang. Os Estados Unidos, a Rússia, a China, o Reino Unido e a França são membros do conselho com direito a veto.

(Reportagem adicional de Peter Henderson)

Reuters