Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Reunião sobre Síria em Astana. 23/1/2017. REUTERS/Mukhtar Kholdorbekov

(reuters_tickers)

ASTANA (Reuters) - Os lados em guerra na Síria se encontraram para as primeiras negociações em nove meses nesta segunda-feira, com os seus apoiadores turcos e russos pressionando para consolidar um cessar-fogo que poderia abrir caminho para o diálogo político.

A reunião na capital do Cazaquistão se dá num momento em que a Turquia, que dá apoio aos rebeldes, e a Rússia, que está do lado do presidente sírio, Bashar al-Assad, querem se desvincular dos combates.

Isso os levou a uma aliança que alguns acreditam que representa a melhor chance de progresso em relação a um acordo de paz, especialmente com os Estados Unidos focado em temas internos.

Depois de se encararem para fazer declarações de abertura nesta segunda, as delegações rivais passaram o resto do dia negociando indiretamente, via intermediários, e em certos momentos trocando farpas. Contudo, os rebeldes expressaram otimismo com a posição de Moscou.

"Nós percebemos um entendimento real da parte dos russos”, afirmou Yahya al-Aridi, porta-voz da oposição, à imprensa.

"Entendemos que militarmente eles conquistaram o que queriam na Síria. Agora eles querem traduzir essa conquista militar em algum tipo de acordo político. Isso tem que ser um cessar-fogo.”

(Por Denis Dyomkin e John Irish)

Reuters