Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Barry Malone
ADIS ABEBA (Reuters) - Rebeldes etíopes lutando pela independência de uma região onde se acredita que pode haver petróleo e gás natural disseram no sábado que haviam capturado sete cidades próximas à fronteira da vizinha Somália.
A Frente de Liberação Nacional Ogaden (ONLF, na sigla em inglês) quer autonomia para a região do Ogaden, cuja população é de maioria étnica somali. A área está atraindo interesse de petrolíferas que acreditam que seus desertos possam ser ricos em depósitos minerais.
"A operação para capturar Obolka, Hamaro, Higlaaley, Yucub, Galadiid, Boodhano e Gunogabo envolveu milhares de soldados da ONLF e resultou em dois dias de pesados confrontos", disseram os rebeldes por meio de um comunicado.
"Um número significativo de soldados da Etiópia foi morto e suas armas foram apreendidas ou destruídas."
O governo etíope não estava disponível para comentários, mas ele rotineiramente nega comunicados da ONLF e diz que os rebeldes foram derrotados.
Adis Abeba diz que a ONLF é uma organização terrorista apoiada pelo rival regional da Etiópia, a Eritreia. Já a ONLF acusa o exército etíope de matar e estuprar civis e queimar vilarejos na região como parte de seu esforço para acabar com a rebelião.
As acusações de ambos os lados não podem ser verificadas. Jornalistas e grupos de ajuda não podem se movimentar livremente na área sem escoltas do governo.
O comunicado da ONLF disse que seus soldados receberam uma "recepção calorosa" dos residentes das sete cidades tomadas e que eles estavam providenciando tratamento aos civis feridos nas batalhas. A causa separatista ganhou força por causa da falta de desenvolvimento da região.

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters