Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Michael Georgy

BAGDÁ (Reuters) - Os insurgentes do Estado Islâmico, que ocuparam a maior represa do Iraque em uma ofensiva que causou consternação internacional, convocaram engenheiros para fazer reparos na estrutura, disseram testemunhas neste sábado, enquanto os curdos acumularam armas para defender seu enclave nas proximidades.

Desde junho, os islâmicos jihadistas capturaram vastas áreas do norte iraquiano, executando prisioneiros não-sunitas, deslocando dezenas de milhares de pessoas e desencadeando os primeiros ataques aéreos do Estados Unidos na região desde que Washington retirou suas tropas em 2011.  

Depois de derrotar forças curdas esta semana, os militantes do Estado Islâmico estão próximos de Arbil, a capital regional curda, que até agora vinha sendo poupada do derramamento de sangue sectário que vem assolando outras partes do Iraque há uma década.

Funcionários de petrolíferas estrangeiras em Arbil estão partindo. Os curdos estão comprando rifles de assalto AK-47 em mercados de arma pelo temor de um ataque iminente, embora estes não estejam sendo eficazes diante do poder de fogo superior dos combatentes islâmicos.

Reuters