Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu (D), ao lado do ministro de Segurança Pública do páis, Gilad Erdan (E), durante reunião do gabinete em Jerusalém 10/04/2016 REUTERS/Gali Tibbon/Pool

(reuters_tickers)

BRUXELAS (Reuters) - O reconhecimento de Jerusalém como capital israelense pelos Estados Unidos seria importante para Israel, mesmo se a transferência da embaixada norte-americana para a cidade for adiada, disse o ministro de Segurança Pública de Israel, Gilad Erdan, nesta quarta-feira.

"Essa declaração é muito importante para nós, mas nós só a vemos como uma reflexão do que está acontecendo no terreno na realidade, não como um divisor de águas", disse Erdan a repórteres em Bruxelas. "Na realidade, nada vai mudar".

"Nós não pensamos que isso é uma desculpa para uma nova onda de violência e nós não teremos medo disso", acrescentou.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, deve reconhecer nesta quarta-feira Jerusalém como capital de Israel e iniciar a transferência da embaixada norte-americana para a cidade.

(Reportagem de Gabriela Baczynska)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters