Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A remessa de recursos para o México registrou seu maior salto em dez anos em novembro, em uma possível reação à vitória na eleição presidencial dos Estados Unidos de Donald Trump, que ameaçou bloquear as transferências e erodiu a confiança na moeda mexicana durante a campanha.

Os mexicanos que estão no exterior enviaram para casa quase 2,4 bilhões de dólares em transferências em novembro, 24,7 por cento a mais que um ano antes, registrando seu ritmo mais rápido de expansão desde março de 2006, de acordo com dados do banco central mexicano divulgados nesta segunda-feira.

Trump conduziu sua campanha com uma retórica antimexicana e ameaçou interromper as transferências de mexicanos, a menos que o México concordasse em pagar pelo enorme muro que ele prometeu construir na fronteira sul dos EUA para impedir a imigração ilegal.

A surpreendente vitória de Trump na eleição de 8 de novembro também fez com que o peso mexicano atingisse mínimas recordes por vendas generalizadas alimentadas por suas ameaças de desfazer um acordo comercial entre México e Estados Unidos e impor tarifas punitivas em produtos fabricados no México.

O economista do Goldman Sachs, Alberto Ramos, disse em uma nota a clientes que a fraqueza do peso aumentou o fluxo de remessas, observando que os trabalhadores podem estar “adiantando estrategicamente” as transferências para evitar potenciais impostos ou restrições do futuro governo dos EUA. (Por Alexandra Alper)

Reuters