Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

ROMA (Reuters) - A Itália não realizará eleições até o fim da legislatura na primavera (no Hemisfério Norte) do próximo ano, disse o ex-primeiro-ministro Matteo Renzi, que lidera o Partido Democrata (PD), neste sábado.

Renzi disse que viu poucas esperanças de reformar o sistema eleitoral depois que um acordo entre os quatro maiores partidos quebrou esta semana, o que significa que a Itália provavelmente votará com um sistema considerado ineficiente e improvável que produza maioria.

Em entrevista ao diário Corriere della Sera, ao ser perguntado quando ele esperava a eleição, respondeu: "Em 2018, no final da legislatura".

Os dois maiores partidos da Itália, o PD e o Movimento 5-Estrelas anti-establishment, culparam-se uma vez que o acordo sobre mudar o sistema eleitoral de representação proporcional baseado no modelo alemão desabou na quinta-feira.

"Era nosso dever tentar (um acordo), mas agora o jogo acabou", disse Renzi. "Temos um horizonte de quase um ano até as eleições, então vamos trabalhar para a Itália".

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters