Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Por Steve Holland
WASHINGTON (Reuters) - Os republicanos conquistaram vitórias nas disputas eleitorais para os governos dos Estados norte-americanos da Virgínia e de New Jersey na terça-feira, num golpe contra os democratas que mostra os limites da influência política do presidente Barack Obama.
Após as derrotas para os governos desses dois Estados, os democratas conseguiram uma vitória sobre um candidato conservador na disputa pela vaga no Congresso de um distrito de Nova York.
O republicano Bob McDonnell conquistou uma fácil vitória sobre o democrata Creigh Deeds na Virgínia. Em New Jersey, o republicano Chris Christie teve mais dificuldade para bater o democarata Jon Corzine.
As vitórias deram aos republicanos esperanças de que tenham conseguido sair do deserto político em que entraram após perderem o controle do Congresso em 2006 e da Casa Branca em 2008.
Os resultados também levantaram algumas questões entre os democratas, que tentarão, no ano que vem, proteger as maiorias conquistadas na câmara dos deputados e no Senado, em meio a preocupações com a fragilidade da economia e com a incapacidade de reduzir o desemprego, atualmente em 9,8 por cento.
"Perder a Virgínia é um desastre, o Estado-chave para ele em 2008, aliadas à perda de New Jersey, isso significa uma noite ruim para Obama", disse Larry Sabato, cientista político da Universidade de Virgínia.
As derrotas na Virgínia e em New Jersey sugerem que os democratas têm dificuldade de obter apoio do eleitorado quando o nome de Obama não está na cédula de votação. A participação democrata sofreu, particularmente na Virgínia.
Alguns analistas ponderam se alguns democratas moderados podem olhar para esses resultados e se perguntarem se programas muito caros, como uma ampla reforma do sistema de saúde dos Estados Uniodos, são politicamente sustentáveis.
"Pode ter o efeito das pessoas no Congresso dizerem 'sabe, não vou seguir adiante com algumas das coisas do Obama, estou com muito medo, temos que ser cautelosos, estamos entrando em 2010'", disse o consultor democrata James Carville à CNN.
No ano passado Obama tornou-se o primeiro candidato democrata à Presidência a vencer na Virgínia desde 1964. Obama fez campanha por Deeds por duas vezes, mas não conseguiu conseguiu um grande comparecimento de democratas como fez há um ano.
Os republicanos não venciam uma disputa estadual em New Jersey desde 1997. Obama conquistou o Estado por 16 pontos percentuais de vantagem e viajou ao Estado três vezes para fazer campanha por Corzine, um ex-executivo de Wall Street que colocou 23 milhões de dólares do próprio bolso na campanha.
De acordo com a Casa Branca, Obama não acompanhou o resultado das eleições e, mais cedo, o porta-voz Robert Gibbs minimizou o impacto potencial das disputas pelos governos nos democratas e nas eleições do ano que vem.
"Essas disputas ficam voltadas a questões locais e estaduais, às circunstâncias e nos candidatos em cada disputa. E, apesar do que alguns certamente afirmarão, os resultados não dão previsões para o futuro e nem refletem o humor nacional ou clima político", disse o presidente do Partido Democrata, Tim Kaine.
Mas o Partido Republicano se apressou em criticar as políticas de Obama e os democratas.
"Nesta noite os eleitores dispararam um tiro de alerta aos democratas e à Casa Branca. Eles estão cansados dos gastos, cansados do desperdício e dos exageros que eles veem saindo de Washington", disse Eric Cantor, segundo membro mais importante do Partido Republicano na câmara dos deputados.
(Reportagem adicional de Tabassum Zakaria e JoAnne Allen em Washington e Ros Krasny em Boston)

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

Reuters