Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

ROMA (Reuters) - Autoridades ordenaram a interrupção da retirada de água de lago próximo a Roma após um prolongado período de seca, uma decisão que pode forçar autoridades municipais a impor o racionamento de água na capital italiana.

O chefe da região de Lazio, cujo centro é Roma, informou no sábado que a interrupção da retirada de água do Lago Bracciano entraria em vigor no dia 28 de julho.

"Infelizmente, é uma tragédia ", disse Nicola Zingaretti ao canal de TV Tgcom24. "A verdade é que os níveis do Lago Bracciano caíram muito e corremos o risco de um desastre ambiental".

A empresa de serviços públicos Acea, que administra o sistema de água de Roma, afirmou que dois anos de chuvas abaixo da média reduziram drasticamente os níveis dos reservatórios que abastecem a cidade e a onda de calor prolongada continua piorando a situação.

Entretanto, a Acea criticou a determinação de fechar as torneiras em Bracciano, que fica cerca de 30 quilômetros ao norte de Roma, dizendo que a região tomou decisão "unilateral e ilegítima".

"A drástica redução do fluxo de água na rede da capital nos forçará a introduzir uma rotação rígida de suprimentos que impactará 1,5 milhão de romanos", disse um porta-voz da Acea à agência de notícias nacional Ansa.

Zingaretti afirmou que apenas 8 por cento da água de Roma vem do lago Bracciano, e que a Acea teve tempo de encontrar uma solução.

No início deste mês, a empresa começou a fechar os bebedouros distribuídos pela cidade em um esforço para proteger os estoques.

Desde então, não houve quedas nas temperaturas, que estão acima da média, fazendo com que o ano de 2017 seja provavelmente um dos anos mais quentes registrados em Itália.

"Gostaria de convidar Donald Trump aqui para mostrar a ele o que significa não respeitar os acordos climáticos", disse Zingaretti, referindo-se ao presidente norte-americano que, no mês passado, retirou os Estados Unidos do Acordo de Paris, firmado em 2015, para combater as mudanças climáticas.

(Por Crispian Balmer)

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters