Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Reuters) - Estima-se que as emissões globais de dióxido de carbono caiam quase 3 por cento este ano devido à crise financeira mundial após anos de crescimento sustentado, apontou um importante estudo anual de emissões de carbono.
Veja a seguir alguns pontos principais do relatório do Projeto Global de Carbono, que detalha as emissões de CO2 causadas por atividades desenvolvidas pelo homem e as tendências na capacidade de "reservatórios" nos oceanos e no solo, como florestas, em absorver C02 da atmosfera.
O projeto é baseado em descobertas e dados de cientistas, agências do governo e grupos de pesquisa do mundo todo.
AUMENTO DAS EMISSÕES
As emissões causadas pela queima de combustíveis fósseis subiu 2 por cento em 2008 ante 2007, aumentaram 29 por cento em relação aos níveis de 2000 e ficaram 41 por cento acima das emissões de 1990.
As emissões aumentaram em uma taxa de 3,4 por cento por ano entre 2000 e 2008, ante 1 por cento por ano na década de 1990. As emissões continuaram seguindo a média dos cenários de emissões mais intensas apresentados pelo Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática da ONU.
MUDANÇA PARA O CARVÃO
O crescimento recente de emissões de CO2 compara-se a uma mudança na maior fonte combustível de emissões, de óleo para o carvão.
O carvão foi responsável por 40 por cento das emissões de combustíveis fósseis de CO2 em 2008, ante 37 por cento entre 1990-2000. A contribuição do óleo caiu de 41 por cento entre 1990-2000 para 36 por cento em 2008.
COMÉRCIO
O relatório aponta uma evidência crescente de que o rápido aumento no comércio internacional e a mudança para serviços em países ricos são os principais motores do aumento da emissão de combustíveis fósseis nos países em desenvolvimento.
Na China, 30 por cento do aumento nas emissões entre 1990 e 2002 são atribuídos à produção de exportações da China. Mais da metade dos produtos de exportação foram destinados a nações ricas.
De modo geral, o comércio internacional foi responsável por cerca de um quarto do aumento das emissões de países em desenvolvimento desde 2000.
RESERVATÓRIOS DE CO2 NO OCEANO E NO SOLO
Entre 1959 e 2008, 43 por cento das emissões anuais de C02 permaneceram na atmosfera. O restante foi absorvido por sumidouros de carbono no solo e nos oceanos.
Nos últimos 50 anos, a fração de emissões de CO2 que ficou na atmosfera tem crescido a cada ano, de cerca de 40 por cento para 45 por cento.
DESMATAMENTO
Em 2008, as emissões associadas ao desmatamento foram 1,1 bilhão de toneladas de CO2 menores do que a média de 1997-2008, que foi de 2,6 bilhão de toneladas por ano, sendo as maiores reduções no Sudeste da Ásia (menos 65 por cento) e América tropical (menos 40 por cento).

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

Reuters