Navigation

Sally se transforma em furacão e ameaça costa do Golfo nos EUA

Louis Marrero trabalha para proteger portaria de imóvel em New Orleans, antes da chegada do furacão Sally 14/09/2020 REUTERS/Kathleen Flynn reuters_tickers
Este conteúdo foi publicado em 14. setembro 2020 - 22:12

Por Jennifer Hiller

HOUSTON (Reuters) - Moradores dos Estados norte-americanos da Louisiana e do Mississippi estavam sob ordens para deixar suas casas nesta segunda-feira, enquanto Sally agitava o Golfo do México, ganhava força e se transformava em um furacão antes de provocar chuvas no litoral na terça-feira, segundo informou o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

A segunda tempestade a ameaçar a região em menos de um mês, Sally caminha para uma chegada em câmera lenta que pode despejar chuvas agressivas na costa norte-americana do Golfo. Moradores da Louisiana e da Flórida foram avisados também sobre tempestades e ventos fortes. 

Sally é a décima oitava tempestade no Atlântico neste ano e será a oitava tempestade tropical com força de furacão a atingir os Estados Unidos, algo "muito raro, se não for um recorde", disse Dan Kottlowski, meteorologista sênior da AccuWeather.

Dados precisos sobre tempestades tropicais históricas podem ser enganosos.

"Vamos aguentar o fardo desta tempestade," disse o governador do Mississippi, Tate Reeves, a moradores nesta segunda-feira, alertando que o volume de chuvas ao longo da costa passaria dos 508 milímetros. 

O governador da Louisiana, John Bel Edwards, pediu uma declaração federal de desastre e aconselhou que as pessoas no caminho do Sally deixem suas casas.

"Temos de nos certificar de que tudo esteja amarrado e fora do caminho para que não vá embora com a água ou voe pelos ares", disse Steve Forstall, um funcionário do porto de Bay St. Louis,  no Mississippi.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.